Follow by Email

quinta-feira, 16 de abril de 2009

CIVILIZAÇÃO & BARBÁRIE- - Michèle Sato - texto

complexidades

No dia do Índio penso que até os que não estão muito ligados
nas questões indígenas , podem resguardar algum tempo e
refletir sobre o tema- civilização e barbárie- mote
do Poema da mestra Michèle Sato -
(peguei no blog Grupo Pesquisador de Educação Ambiental -ARTE- http://gpearte.blogspot.com/2009/02/civilizacao-e-barbarie-ima-mimi.html)

Texto - CIVILIZAÇÃO com BARBÁRIE - Michèle Sato- no Espaço Ecos in Crônicas
e o Poema acima para leitura

ANTROPOLOGICOS -ideal de beleza - harmonia

harmonia

Índio teus cabelos como a palha do buriti
integram a terra
harmonia perdura no olhar que espera

enquanto pensa ...
branco, branco o que trava tua visão ?
teus sentidos embebidos das seivas das raízes

já não estão ...
busca o céu porque esqueceste a terra
a história pulsa ainda em teu sangue já doente

veja nossa gente, simples, saudável, bela...

cultivamos integridade
além de grãos e santidade ... virgínia além mar

A arte da Pré-história brasileira e Arte indígena brasileira

A arte dos índios brasileiros
Na época do descobrimento, havia em nosso país cerca de 5 milhões de índios. Hoje, esse número caiu para aproximadamente 200 000. Mas essa brutal redução numérica não é o único fator a causar espanto nos pesquisadores de povos indígenas brasileiros. Assusta‑os também a verificação da constante ‑ e agora já acelerada ‑destruição das culturas que criaram, através dos séculos, objetos de uma beleza dinâmica e alegre.

A Primeira questão que se coloca em relação à arte indígena é defini­-la ou caracterizá‑la entre as muitas atividades realizadas pelos índios
Quando dizemos que um objeto indígena tem qualidades artísticas, podemos estar lidando com conceitos que são próprios da nossa civilização, mas estranhos ao índio.

vídeo youtube Toré: um ritual Fulni-ô


Para ele, o objeto precisa ser mais perfeito na sua execução do que sua utilidade exigiria. Nessa perfeição para além da finalidade é que se encontra a noção indígena
de beleza.

Desse modo, um arco cerimonial emplumado, dos Bororo, ou um escudo cerimonial, dos Desana podem ser considerados criações artísticas porque são objetos cuja beleza resulta de sua perfeita realização.

Outro aspecto importante a ressaltar: a arte indígena é mais representativa das tradições da comunidade em que está inserida do que da personalidade do indivíduo que a faz. É por isso que os estilos da pintura corporal, do trançado e da cerâmica variam significativamente de uma tribo para outra.

ÍNDIOS DO BRASIL No dia 19 de abril comemora-se, no Brasil (Decreto Lei n.5540, 2.6.1943), o Dia do Índio. Segundo estudos antropológicos, a população pré-histórica do Brasil teve início com a chegada de grupos humanos vindos da Ásia, através do Estreito de Bering e das Ilhas Aleutas, e que ao aportarem no litoral brasileiro, mais propriamente nas terras da Amazônia, encontraram clima e solo propícios para seu estilo de vida. Há também uma corrente na qual a origem dos índios da América ou ameríndios não é só asiática, mas também australiana e malaio-polinésia.
A definição que os antropólogos dão sobre o que vem a ser índio é: ser descendente genealógico de uma comunidade silvícola de origem pré-histórica, possuir a cor morena, olhos e cabelos pretos e lisos, estatura mediana baixa e aspectos fisionômicos de mongóis. Essas características fortalecem a tese dos estudiosos de serem os ameríndios originários de grupos imigrantes asiáticos, australianos ou malaio-polinésios.
Com a descoberta do Brasil pelos portugueses no século XVI, e em decorrência da colonização européia, dos conflitos e das doenças adquiridas pelo contato com os homens brancos, muitos índios foram desagregados do seu habitat natural... &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&


imagens Cultura Indígena - Indigenous Cultures


artigo -Índios devem ganhar ''pacote de bondades''
Roldão Arruda no “O Estado de SP”


Xavantes - Notas de Viagem Salve 19 de Abril !
Apr 19, '05 1:17 AMfor everyone