Follow by Email

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

rastros do despertar


pérola rubra surge no horizonte
nas siluetas recria o despertar
lentamente reclamando seu olhar
e o esquecimento da noite distante
a cidade emerge flutuante
lenta como as contas de um colar
alguns nos braços do amante
outros à sós e as horas a contar
de rubro ao dourado abre-se a fonte
jorra entre os altos prédios
a luz e o calor do grande astro
a relva úmida das praças é remédio
promessa de cura à ausencia de ponte
entre homens manhãs peroladas deixam rastros...
* virgínia além mar