Follow by Email

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Sentimento, Pensamento e o redespertar primaveril...- breves considerações

sobre valores culturais, conjunto de crenças e
a saúde psi...*

* virgínia além mar *

" Ausência de doença pode ser saúde,
mas não é vida" D. Winnicott

Freud em sua obra magna “O Mal Estar na Civilização”, no primeiro capítulo, segundo parágrafo, dirige-se à Romain Rolland , para tratar da sensação descrita por este como " Sentimento Oceânico " , esta que segundo este último é uma sensação de infinitude, de comunhão , sentimento experimentado no útero materno e, pode ser experimentada na fusão amorosa e trata-se de uma religiosidade independente de religião e de fé ... Uma sensação, um experiência do sagrado que difere das sensações de separação, cisão e abandono. Segundo Freud, as religiões teriam apropriado-se de reminiscências deste " sentimento "...

Fundamental é recuperar o sentido do sagrado no dia a dia, a vida por si só é repleta de encantamento e mistério. Entretanto desde Platão a crença de incompletude nos lançou para fora de nós mesmos numa busca insana de apropriação dum outro, este outro não é outro é o mesmo, ou seja nós mesmos , nossas mais estranhas sensações positivadas , encaradas, encarnadas.Criamos em torno de nós mesmos uma armadura protetora , esta oriunda o medo desde as primeiras experiências de separação do paraíso ; o ventre materno.Freud apesar de não ter experimentado em si o " sentimento oceânico " não desconsiderou a possibilidade de algumas pessoas gozarem desta experiência. Lembrando que Freud deteve-se aos aspectos " doentes" das pessoas e não em seus aspectos saudáveis.
Maslow em seu trabalho Hierarquia das Necessidades básicas refere-se a um estágio que poucos alcançam, a satisfação da necessidade de auto-realização. Experiências de cume ou de pico, no campo da expansão da consciência, que incluem sentimentos elevados de êxtase e comunhão com a natureza, o deslumbramento, a gratidão e a unicidade. Então , quando o ser humano envolvido e absorvido no mundo, em perfeita integração ao universo interno e externo haveria uma experiência única, denominada platô e que traria mudanças no sistema individual de valores e crenças. Este mesmo estudioso falava que alguns indivíduos tinham maior consciência de uma vivência do sagrado de todas as coisas e que a dessacralização, a falta de sentido de sagrado na vida diária seria um dos mecanismos de defesa do ego estabelecidos para um empobrecimento da vida e para não se realizar potencialidades.

A auto-realização passa pela criatividade, pelo brincar, pela imaginação consciente, o lado noturno de Gaston Bachelard, o poético encantamento, o devaneio...Uma personalidade equilibrada tem maior chances de vir a também realizar-se na esfera dos relacionamentos afetivos, pois que adquire a permissão de vivenciar o sagrado de si mesmo, capacidade de estar só " mergulhado " em seus próprios interesses e atividades criativas dando espaço a si mesmo e ao outro.Nossa crise é a do espaço-tempo...Ampliar o espaço/tempo é uma peculiaridade do artesão , aqui artista em cada um. Apreciar uma obra de arte, ouvir música, ler um poema, desfrutar do aqui e agora e ser preenchido a tal ponto de comungar com o universal acarreta num estado de ânimo , alma, no qual o ser por inteiro está envolvido, esquecido , imerso, absorvido.

Como o mote aqui é saúde e bem estar, gostaria de citar um paragrafo de " Senso Íntimo: Poética e Psicologia, de Fernando Pessoa a James Hillman, defendida em 1995 na Universidade Federal Fluminense por Carlos Bernardi - Se a progressão da sanidade em direção à saúde mental é distinguida pelos graus de literalismo, então a estrada terapêutica que conduz da psicose para a sanidade é aquela que retorna pela mesma passagem hermenêutica — desliteralizar. Para sermos sãos devemos reconhecer nossas crenças como ficções, e perceber as nossas hipóteses como fantasias.(...)

Uma percepção ampliada possibilita absorver a beleza, jovialidade que a estação primaveril nos oferece, um chamamento ao reencontro com a leveza e estados diversos do ser, nas transformações possíveis.
Recorrendo novamente Carlos Bernardi em um paragrafo diz -Hans Vaihinger, autor do livro "A Filosofia do 'Como Se'". James Hillman mostra que, dos três fundadores da psicanálise, Sigmund Freud, Carl Gustav Jung e Alfred Adler, é justamente este último que mais relações estabelece entre Psicologia e a filosofia do "como se". Em seu estudo dedicado a Alfred Adler, Hillman vê no autor austríaco um precursor da "consciência pós-moderna", na medida em que substitui os sistemas "metapsicológicos" de Freud e de Jung por uma atitude que busca revelar as ficções dos sistemas, desliteralizando-os, apontando a perda da capacidade destes sistemas perceberem seus próprios "como se". É também interessante percebermos que, para Adler, o grau de loucura caminha lado a lado com um aumento do literalismo de suas crenças. Para Adler a pessoa normal é aquela que mantém uma postura metafórica diante de princípios e metas. O neurótico, por sua vez, substantiva estes princípios. Já o psicótico eleva-os à categoria de dogmas. Hillman comenta esta equação sanidade, loucura, ficção e dogma.

Ouvindo Primavera de Vivaldi e o concerto para clarinete e orquestra de Mozart , trilha sonora do filme Out of Africa ( entre dois amores) baseado na obra autobiográfica de Isak Dinesen**, penso nas nuvens que foram rios, umidade da terra, oceano e que suspensas na atmosfera nos parecem grandes pássaros planando , espreitando... Estão em constante mutação, parafreseando o Poeta Mário Quintana ; de eterno só as nuvens...

Aquele que não se deixa transformar, permanecendo preso as suas crenças, dogmas, estando distante de sentir a plenitude e , ou ter contato com sentimento oceânico, integração com a natureza ? O que denominamos vida caracteriza-se pelo dinamismo e pelas trasformações... Bem mas este assunto é bem mais complexo e não podemos limita-lo a alguns “ sentimentos" nem a algumas clasificações.

Retorno à beleza primaveril , na floração podemos apreciar seu mais belo aspecto; o desabrochar das cores e nuances, o ir e vir dos pássaros e insetos, muito embora nem todos botões se abram e, nem todas sementes fecundem, fato que lembra-me novamente a obra de Freud e as teorias do desenvolvimento da sexualidade humana e seus desdobramentos.






O livro que desejo recomendar é DISFUNÇÕES SEXUAIS de Cassandra P. França que pode ser lido parcialmente aqui in Biblioteca de vicamf - Google Livros . Para ler Apresentação da obra e efetuar compra clique aqui. Os Poemas relacionados ao tema são “Pessoas” e “ MULHER ? “ de minha autoria, se desejarem ler ou reler será um privilégio já que um mar de letras e Poesia está disponível na rede ...



Notas
1- * este texto foi publicado em 2006 sob título O Sagrado re ligare ,no extinto Jornal Ecos - reeditado no Portal Maytê em 07 -também extinto reescrito no início deste mês de outubro de 09
2- **Isak Dinesen ,o pseudônimo de KAREN BLIXEN