Follow by Email

sábado, 18 de abril de 2009

No Dia do Índio - vários autores

clique nas imagens para ler os poemas
conheça o Museu do Índio


Os Índios são

* Dora Dimolitsas

Senhores da oca da flecha e do cocar,
O irapuru dita a lenda do índio que sonhou,
o tacape e os colares dão força a tradição,

Dos ritos, e dos ossos, germinam a história,
Da floresta e da terra,são os senhores
Amazônia fornece o guaraná, e a mandioca
Para os amigos dos deus e das águas,

E os filhos do sol e da lua.
Tupã, Jaci, e Guaraci alegram os
Caiapós,Pataxó s e tupis-guaranis,
Hoje saqueados e violados
Seus direitos já muito negados

Espíritos sangrados, sua luz negada
A homenagem poética no dia
Que lhes foi dedicado.


aos que resistem sob o sol

* Virgínia além mar

estou disposta a aprender contigo
humildade,orgulho, sentimentos
de coletividade
minha tribo está dispersa
já não cantamos reunidos
controversa é a modernidade
afasta-se do clã e de seus filhos por vaidades
pois da terra sabedoria esqueceram

há fome e sede de mata
de rios e peixe sadios

no poder do invisível já não cremos
lambendo a terra o vento
desenha nosso rosto e não tiramos
a máscara ao dormir...

não sonhamos mais direito
um futuro a construir...
do rito das iaras

há que com índios reaprender a repartir
quinhão de decência e de alegria
aprender a obediência às leias da natureza
com disciplina e tolerância
aprender a perseverar no que
resiste sob o sol

aos amigos de verdade Xavantes meu muito abrigada,
convosco aprendi a repartir o pouco e a abundância
e que nas distâncias as vozes falam evocando
ao invisível e a ele entregam-se também paixões
desenhando no rosto do tempo um amanhã ...

virgínia além mar
Xavantes - Notas de Viagem Salve 19 de Abril ! http://vicamf.multiply.com/journal/item/34


mais um dia 19 de abril seja lembrado para que
todos os dias venham a ser daqueles que cultivam
a amizade à terra

litorâneas - sambaquis – esculturas- zoólitos



peças do LEPAARQ no Instituto de Ciências Humanas da UFPel, na rua Alberto Rosa 154, bairro Porto, em Pelotas-RS Brasil.
sobre os índios e a cultura dos sambaquis –
Aos poucos, o Brasil se dá conta de que sua história começou muito antes de 1500. Um povo pouco conhecido dos arqueólogos descobriu o litoral pelo menos cinco mil anos antes de Pedro Álvares Cabral. Seu maior legado são os sambaquis, monumentos feitos de conchas cuja grandeza e finalidade — enterrar os mortos — lembram as pirâmides egípcias. Os enormes amontoados de cascas de moluscos e ossos de animais marinhos desafiam a imaginação dos cientistas há mais de 100 anos, mas só na última década começaram a fornecer indícios de como viviam os primeiros habitantes do litoral brasileiro.-

Os grupos que construíam os sambaquis alimentavam-se de moluscos, frutos silvestres e caça de pequenos animais. Análises químicas revelam que sua dieta era farta também em peixes, o que permite concluir que, embora representassem uma cultura tipicamente de pescadores-coletores, também poderiam levar uma vida de hábitos sedentários. Os moradores tinham perto de onde moravam o material necessário para seus artefatos (ossos de animais, conchas, quartzo, gnaisse e diabásio, que deviam ser simples de serem fabricados. Só as esculturas esmeradamente feitas em pedra polida, chamadas zoólitos parecem ter exigidos mais trabalho. http://pt.wikipedia.org/wiki/Sambaqui http://www.museusambaqui.sc.gov.br/
As escavações demonstraram que os nativos viviam basicamente da pesca e moravam em cabanas circulares feitas de madeira e palha erguidas sobre os montes de conchas. Estudiosos dos hábitos de vida desse povo supõem que os nativos dominavam a navegação, uma vez que usavam ossos de tubarão e baleia nas construções. Os utensílios esculpidos em osso e pedra sugerem que os construtores dos sambaquis usavam fibras naturais para tecer, manuseavam artefatos de madeira, produziam redes de pesca e anzóis. Os mortos eram enterrados em posição fetal junto de seus adornos – colares, lâminas de machado e zoolitos, esculturas de pedra polida em forma de animais como peixes e golfinhos.

O fim desse povo é cercado de mistérios. Mil anos antes da nau de Cabral aportar na Bahia, já não se construíam mais sambaquis por aqui. Pesquisadores acreditam que os sambaquieiros foram exterminados por tupis e outros povos indígenas – ou dominados e aculturados por eles. No velho estilo de ocupação das terras brasileiras. Arqueologia