Follow by Email

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Pai - virgínia além mar

PAI


Na solidão
No escuro na noite
Ante os desafios
Onde o medo infantil é cruel
Tua presença introjectada
Teu carinho encorajador
Estiveram presentes

Pai também depositaste confiança
E semeaste valores que protegem
Amigo soubeste ser
Ensinaste a rir de si mesmo
A jogar ,brincar com adversidades
E a levar a sério o respeito
A consideração para com todos


Pai muito de ti em mim vive
E desta parcela do aprendido
Retiro forças para perseverar na singularidade
Com admiração
Com amor eterno e gratidão
Sei que na imensidão consegues distinguir
Meu olhar a ti dirigido ...

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&
uma biografia poética sobre este mestre amigo na minha coluna no VMD
"A vida é para quem voa, correr é se arriscar"