Follow by Email

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Leveza - *virgínia além mar

Leveza - *virgínia além mar


A garoa fria rega meus sentimentos   Um rumor, a princípio estranho,

Surge em meu peito, apenas por momentos  A estranheza constrói catedrais e componho...



Na pele arrepiada as cores do arco íris suponho Pensamentos, de foro íntimo, como botões se abrem  Contrariando a química, o frio aquece os que sabem  Da ternura adormecida no sonho...



Oh! Quão grande são as ondas d´ oceano  Que através da garoa fina navegam   E, dentro do mais profundo revela o que amo



Silenciam os corredores do cotidiano   O etéreo faz-se presente e, em naus prossegue   Adentrando a noite diversa e fecunda, o que me faz leve...



&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&


Foto: “Garoa”, do flickr uyra1, tirada no Vale do Anhangabaú.




“Alguns não aceitam que, na vida do outro, um desejo qualquer se manifeste. Preferem amar cadáveres” ccalligaris