Follow by Email

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Divagações II – virgínia além mar


Ao andar pela cidade, diariamente por quarenta e cinco minutos, muitos pensamentos e reflexões me assolam. Penso quando a noite no computador, irei registrar tais considerações. Retorno ao trabalho e a inspiração é tragada pelas angústias e dores dos pacientes. Entrego-me e esqueço da Poesia, da reflexão e cota de alegre descoberta mental. A noite enfim sento-me frente ao PC na esperança de que a bela idéia retorne mas ao contrário um branco absoluto instala-se. Como não bastasse a si mesma, a falta traz consigo um sentimento de total desnecessidade de algo registrar, como se aquilo, o isto que me pareceu de alguma importância já não a tivesse e num disparate desnecessário tornara-se.



Então procuro por uma palavra que traduza a palidez casta da lua as cinco da tarde. Rogo por uma expressão capaz de, ligeiramente, capturar as cores da água que corre e leva consigo imagens ribeirinhas. Persigo um adjetivo que defina a abóboda celeste regada de misteriosa lentidão, indiferente a pressa humana soprada pelo hálito das vinte horas. Reviro um dicionário mental sem encontrar o signo que transcenda o delírio dos amantes ...



São estes todos meus particulares invernos, como se a neve dos pólos em meu cérebro estivesse...



Mas é de fato inverno no sul, menos rigoroso mas típico, com manhãs geladas, chuva abundante e algumas flores da estação amenizando meios dias de mãos nos bolsos e pés enfiados em meias e botas deixando abafados dedinhos que sentem uma saudade danada de pisar em cálidas areias e transpirar livremente.



Um olé é necessário; temos agasalhos e por aqui grandes calamidades não houveram.



Borbulha no frasco que contem frágil existência, uma herança; fragrância dos trópicos quimeras da primavera eterna a soprar é a vida e nela cabem lembranças e sobretudo esquecimentos e a eles brindo pois que outono com sucesso alcançou seu final e consigo tantas crianças e fizeram-nos crer que as que vivem no céu sorriem, por doce inocência e latente uma palavra ressurge no horizonte entre raios e trovões desta noite; vida !

8 comentários:

  1. Os teus pensamentos ficam ornados pela magia que foi transcrita nesse texto e nesta reflexão bela e encantada! Parabéns, poetisa amiga!!
    silvanio silva

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, Virgínia, bela crônica. Mas não faça tanta força, nem se sente diante do PC à espera da ideia. Vague e divague. Flane e deixe fluir. Ideia é coisa mansa, não gosta de agitação. Olhe a lua, pense (pense sim) num paciente, pense em você. Inspiração é impulsiva, mas ideia é coisa sofisticada, gosta de tapete vermelho, permita que chegue.
    José Christovão
    http://recantodasletras.uol.com.br/cronicas/2341386

    ResponderExcluir
  3. "> Borbulha no frasco que contem frágil existência, uma herança; fragrância dos trópicos quimeras da primavera eterna a soprar é a vida e nela cabem lembranças e sobretudo esquecimentos e a eles brindo pois que outono com sucesso alcançou seu final e consigo tantas crianças e fizeram-nos crer que as que vivem no céu sorriem, por doce inocência e latente uma palavra ressurge no horizonte entre raios e trovões desta noite; vida !"


    Lindo demais, mestra amiga e irmã...
    companheira de senda, luz que brilha nos pampas e nos céus de minha amada terra Brasil.
    Um grande abraço e obrigada por este momento tão profundo.
    Rida
    Ridamar Batista

    ResponderExcluir
  4. Minha querida,
    adorei tuas "divagações"!!
    Abraços de fã,

    Mariah de Olivieri

    ResponderExcluir
  5. Que Imensa e Intensa Emoção sinto ao ler essa tua Fantástica Crônica "Divagações II" Virgínia além mar! Divinamente Magnífica!
    Tens o poder de transformar o árido numa imensidão de sentimentos!
    É admirável a maneira como nos conduz a um sentir sublime diante a vida!
    Não há esquecimento que tire o brilho e beleza da tua essência Poetinha Jardineira!

    Fico meio perdida nas palavras... Mas te agradeço eternamente por esse
    momento precioso que me fez chegar mais pertinho do teu ser

    Muda e...em verdadeiro assombro diante a esse parágrafo que a Rida salientou...

    "> Borbulha no frasco que contem frágil existência, uma herança; fragrância dos trópicos quimeras da primavera eterna a soprar é a vida e nela cabem lembranças e sobretudo esquecimentos e a eles brindo pois que outono com sucesso alcançou seu final e consigo tantas crianças e fizeram-nos crer que as que vivem no céu sorriem, por doce inocência e latente uma palavra ressurge no horizonte entre raios e trovões desta noite; vida !" - Virgínia além mar


    beijinhos em gorjeios de andorinha da Li com carinho agradecido

    ResponderExcluir
  6. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do blog seara de versos. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


    Abraços

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Agradeço imensamente os comentários favoráveis a singela cronica de parto dificil seguida de uma leve respiração.
    Grata Andorinha por tua vibração.
    abraços a todos,

    ResponderExcluir
  8. Virgínia passei para conhecer seu blog ele é espetacular, show, not°10 desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
    Um grande abraço e tudo de bom
    Ass:Rodrigo Rocha

    ResponderExcluir

comentários são bem vindos, grata!