Follow by Email

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Guardas Chuva ?

Guardas Chuva ?



                  virgínia fulber * além mar poetinha




Guardanapos transformados
Em bloco de notas, chapéu, baquinho
Origames e bilhetinho sedutor


O Guarda chuva transportava
lágrimas de despedida
de uma tarde fria...


Gotas tantas transformaram-se
em riacho que levou, barquinho,
notas, chapéu, origames; pato,
flor e desmanchou bilhetinho de amor...


Guardou-se tanto que o guarda
da guarita pediu passaporte
Bagagem pesada; alerta dobrado!


Coração rasgado virou do avesso
como velho guarda chuva ao vendaval
Se guardas chuvas perdes arco íris, versos e mel!

Publicado no Recanto das Letras -

fonte -Iustração -

Um comentário:

  1. Minha querida Amiga Poetinha Virgínia!
    Essa tua poesia me fez sentir na alma
    o canto dos passarinhos ao entardecer!
    Como as palavras ganham força em contato
    com a tua inspiração!
    És de uma intensidade que me fascina minha
    Amada Poetinha!
    A ilustração é simplesmente perfeita para
    acompanhar teus belos versos!
    Grata...Grata por este momento tão especial
    que passei aqui te lendo Vi!

    beijinhos com carinho e admiração além poesias
    da Li que te Adora

    ResponderExcluir

comentários são bem vindos, grata!